• 13-06-2024

Black Brazil Art recebe trabalhos artísticos até 17 de agosto de 2023. Evento acontecerá em março de 2024 na cidade do Rio de Janeiro

No dia  10 de junho , às 15h , acontece  live    de apresentação no canal do     YouTube do evento com apresentação dos curadores. Experimentando pela primeira vez uma curadoria colaborativa internacional, esta edição busca no tema  Fluxos (in) Fluxo: Transitoriedade, Migração e Memória trazer para a arte à discussão global sobre fluxos migratórios que consequentemente desaguam na memória e no senso de pertencimento.  

As inscrições acontecem para artistas, curadores, pesquisadores, artivistas, entre outros, de todo o Brasil e estrangeiros. Incentiva-se prioritariamente a inscrição de mulheres para o equilíbrio de gênero. Com um recorte decolonial, o evento busca ressignificar as narrativas tradicionais e enfatizar o protagonismo de mulheres e das vozes historicamente silenciadas.  

A exposição será apresentada em diversos espaços culturais do ‘corredor cultural’ da cidade do Rio e vai contar com uma programação extensa e gratuita ao longo de três meses. Construída a partir de cinco eixos expositivos:  Linhas Insurgentes Redes de Transmissão Práticas Geradoras (RE)imaginando o Cubo Preto Memórias (trans)locadas , a exposição levará os visitantes por um percurso de dentro para fora, e da percepção física para uma abordagem mais sensorial.   

"A reflexividade na arte envolve uma abordagem introspectiva, na qual os artistas avaliam suas motivações, intenções e influências, bem como analisam a relação entre sua arte e o público", acredita  Patrícia Brito , curadora geral e criadora da  Bienal Black . “Essa capacidade de reflexão também permite que os artistas examinem as relações de poder, representação e exclusão presentes no mundo das artes e na sociedade como um todo", conclui. As duas primeiras edições reconheceram mais de 500 artistas pela excelência de seus trabalhos.  

Segundo a curadora, a  Bienal Black só é possível existir e resistir por vontade própria por entender que espaços de arte não podem privilegiar uns artistas em detrimento de outros e que os recursos não podem ser destinados para os mesmos artistas, sempre. "Ao abordar questões políticas e decoloniais, os museus e centros culturais também assumem uma responsabilidade histórica, ajudando a sociedade a compreender o passado e a questionar a legitimidade das narrativas históricas", avalia Patrícia.   

   

Serviço :  

3ª Bienal Black - Chamada Aberta     

Inscrição: até 17 de agosto de 2023  

Live de apresentação:  10 de junho, às 15h, em:     youtube.com/@BlackBrazilArt  

Sympla:     sympla.com.br/evento/3a-bienal-black/1992890  

Taxa de inscrição:  R$ 35,00  

Regulamento:     bienalblack.com.br/edital-3bb  

E-mail de Contato: bienalblackart@gmail.com